Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
  • Mudar contraste
  • Acessível por Libras

Gestoras regionais do Programa de Combate ao Trabalho Infantil com equipe da Escola de Gastronomia
Gestoras regionais do Programa de Combate ao Trabalho Infantil com equipe da Escola de Gastronomia

Na tarde desta quinta-feira (6/6), a gestão regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem realizou visita à Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, no bairro Mucuripe. As instituições firmaram parceria para viabilizar vagas em cursos livres de gastronomia a estagiários da Justiça do Trabalho do Ceará. Também na ocasião, a exposição "Um Mundo Sem Trabalho Infantil" foi aberta à visitação do público da Escola. Com painéis que retratam as piores formas de trabalho infantil, a exposição pretende chamar a atenção da sociedade para a exploração da mão de obra de crianças e adolescentes.

Veja mais fotos da visita aqui.

Os cursos livres têm duração de até 60 horas, enquanto os profissionlizantes duram três meses
Os cursos livres têm duração de até 60 horas, enquanto os profissionlizantes duram três meses

O centro de formação é uma iniciativa público-privada que oferta cursos gratuitos básicos e profissionalizantes em cozinha básica, panificação e confeitaria, entre outros, voltados principalmente a jovens em situação de vulnerabilidade social.

“A parceria com a Escola de Gastronomia pode dar oportunidades e motivação profissional a jovens que saem do estágio da Justiça do Trabalho e têm dificuldades em conseguir emprego, além de resgatar a autoestima deles”, considera a desembargadora Regina Gláucia Nepomuceno, uma das gestoras regionais do Programa de Combate ao Trabalho Infantil, referindo-se ao fato de que estagiários do serviço público não podem ser absorvidos como profissionais após o estágio, uma vez que o ingresso de servidores dá-se por meio de concurso.

Os estagiários da Justiça do Trabalho interessados em concorrer às vagas dos cursos de gastronomia devem enviar e-mail para combateaotrabalhoinfantil@trt7.jus.br com identificação de nome, idade, curso, lotação e um breve texto explicando os motivos de interesse em realizar as capacitações nessa área.

“A gastronomia é o meio que arrumamos para proporcionar mobilidade social aos alunos”, afirma Selene Penaforte, superintendente da instituição de ensino. Segundo a gestora, os cursos oferecidos na Escola geram oportunidades para além do comércio formal de restaurantes. “Aqui os jovens ganham competência para empreender e ter autonomia. O setor de comida não tem crise. A comida mobiliza as pessoas a saírem de suas casas para viverem experiências gastronômicas”, avalia.

Anderson é aluno do curso de panificação
Anderson é aluno do curso de panificação

Durante a reunião com os integrantes das instituições, Anderson Oliveira Costa, aluno do curso de panificação, apresentou dois tipos de pães que sua turma acabara de preparar. O jovem explicou as diferenças entre as receitas, os preparos e os insumos. “Comecei como aluno de cursos básicos e hoje estou perto de me formar em um profissionalizante. Ao terminar meus estudos aqui, espero estar apto a ser empregado em alguma empresa do ramo”, torce.

Exposição

"Um Mundo Sem Trabalho Infantil" reúne 12 painéis que retratam com textos, ilustrações, charges e fotografias a realidade de milhares de crianças brasileiras submetidas a esse tipo de atividade ilegal. A mostra foi montada pela primeira vez em 12 de junho de 2016, em Brasília, no Tribunal Superior do Trabalho, por ocasião do Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

A exposição está no espaço de convivência no piso inferior do prédio
A exposição está no espaço de convivência no piso inferior do prédio

Na Escola de Gastronomia, a mostra foi montada num espaço de convivência no andar inferior do prédio, próximo a salas de aula e à biblioteca. “Com a exposição, faremos um circuito de visitação voltado para crianças e distribuição de brindes do Programa de Combate ao Trabalho Infantil”, planeja Mônica Silva, técnica em biblioteconomia. A profissional explica que, além das aulas regulares, equipes da instituição realizam acolhimento de crianças da comunidade do entorno para atividades pedagógicas. A exposição fica em exibição no local até o dia 17 de junho.

12 de junho

A campanha do dia 12 de junho foi criada a partir de concurso entre os estagiários da Justiça do Trabalho do Ceará
A campanha do dia 12 de junho foi criada a partir de concurso entre os estagiários da Justiça do Trabalho do Ceará

A inauguração da exposição faz parte das ações da Justiça do Trabalho do Ceará para o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Completam as atividades alusivas ao tema campanha publicitária, reportagens, distribuição de material educativo, palestra e exibição de faixa durante intervalo de jogos de futebol no Castelão. Na manhã do dia 12 de junho (quarta-feira) haverá um “adesivaço” na Beira-Mar e na entrada do Fórum Autran Nunes, em Fortaleza.

O Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil foi instituído pela Organização Internacional do Trabalho em 2002, quando foi apresentado o primeiro relatório global sobre o trabalho infantil na Conferência Anual do Trabalho. No Brasil, o 12 de junho foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil pela Lei nº 11.542, de 2007.

Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco

A instituição é um equipamento da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. O nome faz referência ao fundador do grupo M. Dias Branco, que financiou a obra da sede da escola. Os cursos são ofertados pelo site da instituição e a seleção dos alunos é feita por ordem de inscrição, mediante critérios estabelecidos em edital divulgado antes de cada ciclo de cursos. A Escola fica na Rua Manuel Dias Branco, 80, Cais do Porto, em Fortaleza.