• Selo 100% PJe
  • Instagram
  • SoundCloud
  • Youtube
  • Facebook
  • Twitter
  • Flicker

TRT/CE ganha destaque no 4º Balanço Socioambiental do Poder Judiciário

Consumo de papel per capita em 2019: TRT7 está em 1º lugar entre os TRTs de médio porte que menos consomem papel e em 3º lugar entre todos do Brasil.
Consumo de papel per capita em 2019: TRT7 está em 1º lugar entre os TRTs de médio porte que menos consomem papel e em 3º lugar entre todos do Brasil.

O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE) obteve resultados expressivos no 4º Balanço Socioambiental do Poder Judiciário, documento elaborado anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Entre outros avanços, a Justiça do Trabalho do Ceará ganhou destaque por conseguir o 1º lugar entre os TRTs de médio porte no quesito “Redução de Consumo de Papel” (1,7 resmas per capita). O Balanço, referente ao ano de 2019, pode ser conferido na íntegra aqui.

Além disso, o TRT/CE também obteve o 1º lugar entre os TRTs de médio porte na categoria “Quantidade de Ações de Qualidade de Vida”; ao todo, o Regional cearense somou 33 ações. A Justiça Trabalhista do Ceará conseguiu, também, um Índice de Desempenho de Sustentabilidade (IDS) de 62%, o 7º entre todos os TRTs do Brasil. Ainda, o TRT/CE não registrou despesas com telefonia móvel.

A diretora da Divisão de Material e Logística e integrante do Comitê Gestor do Plano de Logística Sustentável do TRT/CE, Deven Moura, comemora os destaques sustentáveis mostrados no balanço nacional. “Todos estamos de parabéns com os resultados que o Tribunal obteve. A Justiça do Trabalho está cumprindo sua função social”, avalia Deven.

Quantidade de ações de capacitação socioambiental em 2019: TRT7 está em 1º lugar entre os TRTs de médio porte e em 2º lugar entre todos do Brasil.
Quantidade de ações de capacitação socioambiental em 2019: TRT7 está em 1º lugar entre os TRTs de médio porte e em 2º lugar entre todos do Brasil.

Sobre o Balanço

O Balanço Socioambiental do Poder Judiciário tem o objetivo de monitorar a execução dos Planos de Logística Sustentável (PLS) pelos tribunais e conselhos judiciais de todo o país.

A partir dos dados levantados e do intercâmbio de ideias e iniciativas na área socioambiental, tornam-se possíveis reflexões sobre maneiras de contribuição do Poder Judiciário com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).